Programa da Vale e seus fornecedores contribui para o desenvolvimento social de comunidades em Minas Gerais

0
43 views

Em seu primeiro ano, Programa Partilhar gerou compromisso dos fornecedores de executarem ações de investimento social voluntário no Estado

Lançado pela Vale há pouco mais de um ano, o Programa Partilhar já colhe resultados que comprovam o engajamento de sua cadeia de suprimentos com o desenvolvimento social das comunidades onde a empresa atua. Por meio do programa, os fornecedores da Vale já se comprometeram a realizar 55 ações de investimento social voluntário em Minas Gerais e no Pará.

Além disso, foram fechados 96 contratos utilizando a metodologia inovadora do programa, na qual a Vale gera uma pontuação para os fornecedores conforme suas contribuições socioeconômicas nas regiões, tornando-os mais competitivos nos processos de contratação. Um total de 434 fornecedores participaram dos processos concorrenciais elaborados com a metodologia do Partilhar, o que corresponde a 77% das empresas convidadas. O volume de contratações incluídas no programa ultrapassou R$ 4 bilhões.

“Após lançarmos o Partilhar, recebemos o retorno positivo de vários fornecedores que queriam investir em projetos sociais nos territórios, mas não sabiam por onde começar”, conta Marco Braga, diretor de Suprimentos da Vale. “Com o programa eles têm um incentivo para transformar esse desejo em realidade.”

O diretor de Sustentabilidade e Investimento Social da Vale, Hugo Barreto, afirma que, por meio do Partilhar, a Vale propaga seus valores para a cadeia de suprimentos: “Queremos transformar o futuro e melhorar a vida das pessoas. Estamos colocando esse propósito em prática ao levar o desenvolvimento social às comunidades em conjunto com nossos fornecedores”.

Nesse período do Partilhar, os contratos fechados com a nova metodologia geraram 3.000 empregos em Minas Gerais e no Pará, resultando em uma massa salarial total de quase R$ 23 milhões. O valor em compras locais realizados pelos fornecedores chegou a R$ 20 milhões, gerando novas oportunidades de negócios para os territórios. Já o valor aplicado em investimento social voluntário alcançou R$ 668 mil nos dois estados.

No primeiro ciclo do Partilhar, que vai até o início de 2022, estão sendo contempladas 11 categorias de compras – como serviços de infraestrutura, construção e engenharia, peças para processamento mineral e frete de transporte terrestre. A partir do ano que vem, o programa será estendido para outras categorias, ampliando sua abrangência nacional.

Benefícios para fornecedores e comunidades

No momento, as construtoras Vale Verde, Sant’Anna e Nóbrega Pimenta estão com investimentos sociais voluntários em andamento em Minas Gerais. As ações, nas áreas de cultura, educação, meio ambiente e saúde, contemplam comunidades dos municípios de Brumadinho, Itabira e Rio Piracicaba.


Curso de iniciação musical promovido pela Construtora Sant’Anna em Rio Piracicaba.

Em Rio Piracicaba, a Construtora Sant’Anna está promovendo três projetos de incentivo às artes, à educação e formação profissional, como o projeto de iniciação musical, envolvendo 30 pessoas do município, entre 12 e 61 anos. A empresa também iniciará, em breve, a reforma e revitalização da biblioteca da Escola Estadual Prof. Antônio Fernandes Pinto, que conta atualmente com mais de 600 alunos. Outra iniciativa é a montagem de sala de estudos, com dez computadores, para mulheres da APAC (Associação de Amparo e Proteção aos Condenados) de Rio Piracicaba, para realização de cursos online de qualificação profissional.

Paulo André Avelino, coordenador de Compliance da Construtora Sant’Anna, destaca: “O Programa Partilhar da Vale era o que faltava para darmos mais um passo no nosso programa de responsabilidade social empresarial. Estamos muito felizes e orgulhos de fazer parte desse movimento. Além das oportunidades e dos benefícios diretos que o Partilhar gera para as pessoas atendidas, confiamos que o programa criará e fortalecerá o engajamento social de mais e mais empresas. É o nascimento de uma rede importante de esforços. Juntos temos o potencial de concretizar as transformações positivas que sonhamos e todos carecemos, superando problemas comunitários e promovendo cidadania, paz e dignidade humana”.

Já a Construtora Nóbrega Pimenta realizou a doação de materiais para revitalização da APAE de Rio Piracicaba, equipamentos de proteção individual (EPI) para profissionais da saúde do Hospital Júlia Kubistschek, eletrodoméstico para a APAC (Associação de Assistência e Proteção aos Condenados) Feminina do município, além de cestas básicas e produtos para o Asilo Padre Pinto e a Paróquia São Miguel.

Ronaldo Pereira, gestor de Contratos da Construtora Nóbrega Pimenta, conta: “Poder participar de um programa da envergadura do Partilhar foi um privilégio para a construtora. A empresa sempre esteve empenhada em realizar ações sociais, mas a nossa participação no programa foi mais um incentivo que tivemos para realizar ações nas comunidades onde atuamos, por exemplo, em Rio Piracicaba. E após a realização dessas ações, notamos o reconhecimento da comunidade, tão carente de ações desta natureza”.

A Construtora Vale Verde apoiou, em Brumadinho, o projeto cultural e social Batucabrum, com doação de tintas e produtos para atividades com crianças e materiais para construção da nova sede da organização. A empresa também promoveu ações sociais em Itabira, incluindo manutenção e reforma de veículos da APAE (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) do município, pavimentação do pátio de acesso ao centro de hemodiálise do Hospital Nossa Senhora das Dores, doação de drone para prevenção de queimadas e incêndios da Mata do Limoeiro e doação de 1.700 fraldas para o Lar de Ozanam.

Rafael Sgarbi, supervisor de Operações da Construtora Vale Verde, afirma: “Um projeto social tem o objetivo de transformar vidas, proporcionar oportunidades, fortalecer vínculos e colaborar para uma sociedade mais justa, mais igualitária e, principalmente, mais cidadã. As ações sociais oferecem empatia para transformar o cenário local ao longo do tempo. Poder colaborar com a sociedade é sentir-se realizado, é ter o privilégio de estar lançando a semente de um futuro melhor para todos nós”.

Cardápio de incentivos

Neste último trimestre do ano, a Vale implantou o cardápio de incentivos, uma iniciativa voltada para a capacitação e o aumento da competitividade de seus fornecedores. Para o primeiro ciclo, mais de 3 mil colaboradores de quase 40 empresas se inscreveram em treinamentos online sobre assuntos técnicos de mineração, comunicação, gestão de tempo e de pessoas.

Mesmo os fornecedores que ainda não tenham contratos em vigor com a empresa podem participar. Além dos treinamentos, está prevista a oferta aos fornecedores de condições financeiras diferenciadas e ferramentas facilitadoras de negócios.

A prioridade para receber os incentivos está sendo dada aos fornecedores com base numa combinação do Índice de Valor na Comunidade (IVC) mais alto com o menor faturamento anual. A ideia é recompensar e apoiar as empresas que mais invistam na comunidade, estimulando, inclusive, fornecedores de pequeno porte.

Índice de Valor na Comunidade

Em seus processos de contratação de serviços e materiais, a Vale analisava aspectos como preço oferecido e a capacidade técnica do fornecedor. Nas categorias incluídas no Programa Partilhar é analisado também o Índice de Valor na Comunidade (IVC), um indicador criado pela empresa que reflete a contribuição socioeconômica dos fornecedores para as comunidades. Uma pontuação alta no IVC representa um diferencial para o fornecedor na concorrência.

A metodologia do IVC é baseada em critérios objetivos, com divulgação aos participantes de forma transparente. O processo de certificação é gratuito para os fornecedores, feito por uma empresa independente, com garantia da proteção dos dados.

O IVC analisa cinco fatores relacionados a contribuição de cada fornecedor em cada região:
• Emprego: número de postos de trabalho mantidos ativos na região;
• Renda e salário: somatório da remuneração bruta anual dos colaboradores;
• Compras locais: total de gastos em produtos e serviços na localidade;
• Impostos: valor total recolhido em ISS e ICMS;
• Investimento social voluntário: somatório de investimentos em iniciativas sociais visando o bem-comum da comunidade.