Fundação Vale lança ‘Programa de Educação e Saúde’ em três municípios mineiros

0
15 views
Prefeito de Catas Altas, Saulo Morais, assinando o termo. Fotos: Divulgação Fundação Vale

A Fundação Vale ampliou sua atuação em Minas Gerais com o lançamento do Programa de Educação e Saúde nos municípios de Catas Altas, Rio Piracicaba e Santa Bárbara, localizados na região Central do estado. Em parceria com as prefeituras e secretarias municipais, o programa visa aprimorar indicadores de aprendizagem na alfabetização, combater a exclusão escolar e fortalecer a saúde preventiva e a assistência social. Estima-se que mais de 2,5 mil estudantes e 55 mil usuários do SUS (Sistema Único de Saúde) e SUAS (Sistema Único de Assistência Social) serão beneficiados.

Pâmella De-Cnop, diretora executiva da Fundação Vale, destaca a importância de contribuir para o desenvolvimento social e a autonomia das comunidades por meio da educação, saúde e assistência social. “Estamos entusiasmados em estabelecer parcerias e trabalhar em conjunto com as prefeituras e organizações sociais locais para garantir transformações abrangentes e duradouras”, comenta.

Um dos projetos do programa é o Ciclo Saúde Proteção Social, realizado em colaboração com o Cedaps (Centro de Promoção da Saúde), que busca melhorar a qualidade dos serviços de saúde e assistência social. O projeto inclui formação contínua de profissionais e gestores, além da doação de equipamentos essenciais, como aparelhos de pressão, macas e computadores, para melhorar o atendimento nas 25 UBSs (Unidades Básicas de Saúde) e três CRASs (Centro de Referência de Assistência Social) dos municípios.

Para promover a alfabetização plena, o projeto Trilhos da Alfabetização oferecerá formação continuada para professores do 1º ao 3º ano do ensino fundamental, com materiais didáticos adaptados à cultura local. Em parceria com a Roda Educativa (antigo CEDAC), a iniciativa alcançará 211 educadores de 22 escolas públicas nos três municípios.

O projeto Territórios em Rede será implementado para garantir o acesso à educação, reinserindo crianças e adolescentes de 4 a 17 anos que deixaram a escola ou estão em risco de abandono. Em colaboração com a Cidade Escola Aprendiz, uma equipe dedicada realizará visitas domiciliares, acompanhamento social das famílias e mobilização de instituições para superar os obstáculos que impedem essas crianças de frequentar as salas de aula.