Câmara de Itabira e Vale discutem Plano de Emergência para presídio de Itabira

0
178 views

A pedido do Presidente do Conselho da Comunidade na Execução Penal da Comarca de Itabira (CCLEPI), João Paulo de Souza Júnior, aconteceu no Plenário da Casa Legislativa nesta terça-feira (22), uma reunião promovida pela Câmara de Vereadores para discussão do Plano de Emergência para o presídio, exigido pela Juíza da 2ª Vara Criminal, Cibele Mourão Barroso de Figueiredo Oliveira, para manter a unidade prisional em funcionamento.

Foi solicitado pela empresa Vale, com intuito de que não houvesse nenhum tipo de conotação política em relação aos esclarecimentos das ações desenvolvidas, a entrada da imprensa somente nos momentos finais do encontro, que inicialmente seria realizado a portas fechadas na sala da presidência, mas devido ao grande número de pessoas foi transferido para plenário por medidas de segurança contra a Covid-19.

Além de vereadores participaram das discussões o Presidente do Conselho da Comunidade na Execução Penal da Comarca de Itabira (CCLEPI), Dr. João Paulo de Souza Júnior; o representante da OAB, Glaucius Detoffol Bragança e os representantes da Vale em Itabira, Quintiliano Guerra, Gerente de Geotecnia; Luiz Augusto Moisés Magalhães, Analista de Relacionamento Institucional; Daniel Argento, Coordenador de Relacionamento Institucional; Nathan de Arimateia Silva, Gerente de PAEBM e Magno Mário Almeida, Supervisor de Emergência.

Também compareceram à reunião para acompanhar os esclarecimentos e reivindicar o retorno dos detentos à Itabira, a Presidente da Associação de Amigos e Familiares de Pessoas em Privação de Liberdade, Maria Teresa dos Santos e alguns familiares dos presidiários.

O Presidente do CCLEPI, Dr. João Paulo de Souza Júnior ressaltou mais uma vez a necessidade de manter os presos em Itabira para garantir a proximidade com os familiares. O representante da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), Glaucius Detoffol Bragança, declarou que o compromisso da OAB é acompanhar a qualidade técnica dos laudos, à adequação, as alternativas oferecidas e principalmente, quanto tempo será necessário para que as alternativas sejam implementadas.

Daniel Argento, Coordenador de Relacionamento Institucional da Vale, afirmou que um possível rompimento da barragem Itabiruçu não atingirá o presídio do município, e sim as estradas de acesso à unidade prisional, mas assegurou que o time técnico da empresa já vem construindo ações de contingência para oferecer as melhores soluções a todos envolvidos.  Quintiliano Guerra, Gerente de Geotecnia da mineradora, contou que houve ampliação da equipe técnica que acompanha o dia a dia das barragens e expôs algumas informações de como a Vale realiza os monitoramentos, citando como exemplo, a análise do solo e do volume de água que passa pela barragem.

Já o Gerente de Plano de Ação de Emergência de Barragens de Mineração (Paebm), Nathan de Arimateia Silva, informou que o Plano de Emergência foi entregue à Secretaria de Estado de Justiça e Segurança Pública (Sejusp) pela manhã do dia 23/09, e a mesma se comprometeu a repassar o documento ainda essa semana para a Juíza da 2ª Vara Criminal. Ele também disse que a empresa está abertas à negociação e não faltará esforço da empresa para que a situação se resolva o mais breve possível.

Ao final, o Presidente da Câmara Municipal de Itabira, Vereador Heraldo Noronha, aproveitou a oportunidade para solicitar aos representantes da mineradora, ajuda com a doação de mobílias para a Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac) da cidade de Itabira.