Agrowin mobiliza agricultores para a campanha de análise de solo

0
78 views


Medida prevê melhor utilização do solo para cultivo agrícola, pecuário ou florestal

Para auxiliar produtores rurais da região a garantir mais produtividade nos negócios o Plano Agrowin lança a campanha “Análise de solo – Central de Compras”. O objetivo da campanha é popularizar esta técnica, ainda pouco adotada por produtores de Itabira. Técnicos especializados serão responsáveis pela facilitação da recepção, envio do material a laboratórios credenciados e a interpretação das análises.
A campanha visa incentivar o emprego da tecnologia de análise de solo para racionalizar o uso de corretivos e fertilizantes, garantir uma utilização mais acertada dos produtos. além de aproveitar a Central de Compras para a aquisição de insumos.
Os produtores interessados devem procurar a Emater-MG ou a Secretaria Municipal de agricultura da Prefeitura de Itabira, no período de 1º de junho à 11 de setembro (período de duração da campanha) para ser orientado a fazer a coleta. Após a análise, os produtores serão encaminhados à Central de Compras Agrowin para adquirem os corretivos e fertilizantes indicados, por preços bem abaixo do encontrado no mercado.
O custo do projeto é relativamente baixo e varia conforme o tipo da análise, podendo chegar a no máximo R$40,00 por amostra. Os tipos mais comuns de análise são: de fertilidade, de textura e teor de matéria orgânica. É recomendado que o procedimento seja feito anual ou no máximo a cada dois anos.
O projeto conta com a parceria da Acita – Associação Comercial, Industrial, de Serviços e Agropecuária de Itabira, Sindicato Rural de Itabira Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural de Minas Gerais (Emater) e Prefeitura Municipal de Itabira.

Qual a importância da análise do solo?
A análise do solo é uma tecnologia já consagrada no meio agropecuário e que consiste na coleta de amostras do solo que será cultivado com plantas com fins agrícolas (lavouras, hortas, pomares), pecuários (pastagens, canaviais, capineiras) e florestais (eucalipto).
Muitos produtores não a usam por falta de conhecimento, pouca valorização da técnica, inexistência de laboratórios especializados na cidade e mesmo por acharem que as receitas de um solo valem para todos, o que não é verdade.
Com a análise do solo os produtores rurais podem conhecer as características físicas e químicas do solo, para que possam empregar técnicas que garantam maior produtividade das plantas. É uma tecnologia básica para uma agropecuária profissional.
Após a conclusão da análise de solo, técnicos poderão recomendar aos produtores as doses certas de corretivos do solo (calcários e gessos) e fertilizantes (químicos e orgânicos) para cada cultura, conforme as características mostradas na análise e a necessidade do solo.
Mais informações: 3831-3919 Emater-MG (Mauro) e 3839-2249 Secretaria de Agricultura (Fabinho).